1b

Bolivia TRINIDAD catalunia Angola portorico dominica Chile México India Israel malasia noruega Australia Mozambique colombia Equador Camboya Bulgaria Romenia Costa Guatemala Polonia Lanka Suiza Vietnam Panama Finlandia Belgica Tailandia Bhutan San Domingo Peru

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

A Surpreendente “Ressuscitação” do Cometa ISON


ATUALIZAÇÃO: A análise de fotos feitas no dia 3 de dezembro confirmou que o cometa ISON não sobreviveu à sua passagem próxima do sol. A viagem que começou 5,5 milhões de anos atrás acabou no fim deste novembro. O cometa foi moído e evaporado na sua única passagem próxima ao nosso astro-rei, deixando apenas uma “nuvem” de detritos, muitas perguntas e espanto. [Reuters]
Lembra do comenta ISON, aquele que poderia tornar-se muito brilhante e visível em todo o mundo até o final de 2013? Ele tem confundido – e muito – os cientistas.
Como já diria o astrônomo David H. Levy, um dos codescobridores do cometa Shoemaker-Levy, “cometas são como gatos, eles têm caudas e fazem exatamente o que querem”.

ISON não é diferente. O astrônomo Phil Plait já havia afirmado em seu blog, o “Bad Astronomy“, que ISON apresentou um comportamento anormal desde o princípio: era um cometa do tipo rasante vindo da Nuvem de Oort, o que não parecia fazer sentido (um objeto do seu tipo nunca havia sido observado vindo daquela região do sistema solar). Também, tinha tamanho suficiente para sobreviver a pelo menos uma passagem próxima ao sol.
No entanto, ao se aproximar do astro, ISON ficou brilhante, depois perdeu o brilho, depois pareceu ter se desfeito em poeira, e quando emergiu do outro lado, parecia mais esmigalhado ainda, só para mais tarde apresentar novamente algum brilho. Hãn?!
“Nestas alturas, eu me recuso a emitir quaisquer conclusões sobre este cometa. Ele parece disposto a nos confundir. Eu ouvi comentários de especialistas em cometas que estão espantados”, comenta Plait em seu blog.

O cometa parece ter se desfeito em uma nuvem de poeira

24 minutos depois, será que ele se despedaçou?

2 horas depois, parece que só uma nuvem de poeira sobreviveu à passagem

Depois do que pareceu o fim do cometa, ISON foi dado como provavelmente morto pelos astrônomos. O pesquisador solar da marinha americana Karl Battam disse que o “ISON provavelmente não sobreviveu a esta jornada”, e Phil Plait concordou, afirmando que não achava “que o cometa tivesse conseguido passar”. O físico solar Alex Young, da Nasa, apontou que ainda faltavam algumas horas para confirmar sua destruição, mas que as coisas não pareciam boas.

Algo pode ter sobrevivido, mas parece apenas poeira

Ou será que não?

A esperança é a última que morre


                                               Fonte:Colin Leroy

E agora, o que esperar de um cometa tão surpreendente? Mais surpresas. A princípio, o cometa pode continuar brilhando, mas também pode evaporar e desaparecer. Se ele seguir o roteiro que os cientistas haviam previsto, deverá ser visível a olho nu entre o início de dezembro e o meio de janeiro.

Aparição “programada” para 10 de dezembro

Supondo que eles estavam certos antes, o que restou do cometa ISON provavelmente poderá ser visto a olho nu. Quem quiser observá-lo deve olhar na direção leste-sudeste meia hora antes do nascer do sol. Claro que, depois do que aconteceu neste dia 28, ninguém mais quer arriscar nenhum palpite sobre o que este cometa “felino” fará. [BBC News, Comet ISON 2013, BadAstronomy, Helioviewer.org, NASA, GSFC Nasa]

                                             Veja o Vídeo Abaixo:


                                                Fonte:nemesis maturity

Nenhum comentário:

Postar um comentário