1b

Bolivia TRINIDAD catalunia Angola portorico dominica Chile México India Israel malasia noruega Australia Mozambique colombia Equador Camboya Bulgaria Romenia Costa Guatemala Polonia Lanka Suiza Vietnam Panama Finlandia Belgica Tailandia Bhutan San Domingo Peru

sábado, 22 de julho de 2017

'Os OVNIs são Discretos para não Perturbar nosso Mundo'

John Carpenter, bacharel em artes, graduado em psicologia e mestre em serviço social, com treinamento avançado em hipnose clínica.

O especialista que foi diretor de pesquisas da Mutual UFO Network fala sobre as abduções alienígenas e como as sessões de hipnose regressiva são usadas nesses casos. Atualmente ele tem se dedicado à pesquisa de aparições marianas e milagres religiosos.

Como começou seu interesse pelos fenômenos ufológicos?
Eu passei a me interessar quando tinha 10 anos e li partes de um livro sobre óvnis de Donald Keyhoe, em 1965. Percebi que eles estavam tratando essas histórias como reais e como reportagens de jornal, e não fantasia ou ficção. Fiquei fascinado e passei a ler qualquer coisa que eu conseguisse, à medida em que os anos se passavam. Depois, eu me tornei um terapeuta psiquiátrico e me formei na hipnose clínica na mesma época em que as abduções por óvnis passaram a ser investigadas por terapeutas profissionais, usando a técnica da hipnose. Quando os livros “Intruders” (Intrusos, em inglês) e “Communion” (Comunhão, na tradução livre) surgiram, em 1987, eu decidi oferecer minhas habilidades para uma investigação, não acreditando que alguém realmente fosse me contatar. No dia seguinte, a Mutual UFO Network (Mufon) – uma das maiores e mais antigas organizações investigativas dos Estados Unidos sobre fenômenos Ufos – me ligou e me nomeou como pesquisador assistente. Dois meses depois, o legendário estudioso dos sequestros alienígenas, Budd Hopkins, me ligou e me encaminhou um caso.
O senhor já passou por alguma experiência de abdução? 
Eu vi um óvni com minha esposa em 1978 sob a cidade de Saint Louis, no Estado americano do Missouri. Era um disco oval brilhante que se elevava e e depois sumiu do campo visual em dois segundos, por volta do anoitecer. O jornal local informou, no dia seguinte, que 200 pessoas também o testemunharam.
Como diretor de pesquisas de abdução da Mutual UFO Network (Mufon), de 1991 a 2000, qual caso mais te marcou e intrigou? 
O caso mais interessante foi o de Budd Hopkins, em que o óvni e a abdução foram conscientemente testemunhados por até sete pessoas aleatórias na região de Manhattan, na cidade de Nova York. A mulher e três alienígenas foram vistos em um feixe de luz vindo do Óvni. Ela já havia sido vista por Budd.
As abduções acontecem com qual frequência? Esse número tem aumentado, diminuído ou mantido com a mesma frequência? Existem áreas do mundo mais suscetíveis?
Eu acredito que sempre foi um fluxo constante em todo o mundo, na maioria dos países. A diferença do fenômeno está em quem os reporta – quem conta, quem coleta, quem informa. Alguns países estão mais abertos a ouvi-lo, enquanto outros são menos tolerantes. Há mais informações divulgadas quando as pessoas acham uma explicação confiável. Quando comecei a coletar essas informações, eu recebi casos com mais de 40 anos, que nunca haviam sido relatados.
Por que os governos tendem a encobrir histórias de óvnis? 
Por três razões principais. A primeira é o medo de que o público entre em pânico, reaja irracionalmente e depois exija saber de tudo o que foi retido – o que seria um grande pesadelo e escândalo. A segunda é que o governo quer estudar e aprender sobre os corpos e máquinas recuperadas, de modo a obter uma vantagem sobre outros países – especialmente os militares. Estima-se que 3.000 novas tecnologias já foram desenvolvidas nos EUA devido ao estudo desses objetos. E, por fim, nenhum governo quer anunciar que não pode parar ou controlar a situação alienígena – admitir a sua impotência.
Você já realizou centenas de sessões de hipnose regressiva para investigar esses casos. Esse método é oficialmente reconhecido para comprovar essas abduções? Existem outras formas de se ter certeza sobre esses sequestros extraterrestres?
Eu tenho ensinado processos específicos e aperfeiçoei certas técnicas, mas receio que algumas pessoas criem seus próprios métodos, o que nem sempre é o melhor processo. Eu acredito em fazer perguntas muito abertas, como “O que acontece depois?”; “Como essa cena muda?”; “O que você percebe ao seu redor?”. Faço perguntas diretas muito deliberadas que promovem respostas lógicas, que vão na outra direção, longe dos dados ufológicos. Por exemplo: “Então, o UFO faz um som ruidoso muito alto agora?”. Geralmente eles são extremamente silenciosos. Outra: “Quando o alienígena abre a boca, você vê os dentes?”. Os extraterrestres nunca abrem a boca, nem mostram nenhum dente. “A voz do estrangeiro é macia, alta ou média?”. Eles não têm voz, fazem contato apenas por telepatia silenciosa. Dessa forma, posso ver se o assunto pode ser conduzido. A maioria dos sujeitos são inflexíveis sobre o que eles veem e não são conduzidos por essas perguntas, no mínimo, instigantes. Na verdade, muitas vezes eles se desculpam por ter relatado algo estranho, em vez disso.
Os sinais e as manifestações óvnis se avolumam, indicando que estamos sendo vigiados por entidades alienígenas. Qual seria o objetivo dessas visitas? 
Seu propósito parece ser orientado para a pesquisa científica. Seus processos parecem planejados, secretos e discretos para não perturbar o nosso mundo abertamente. Isso me lembra quando entramos em regiões selvagens, aterrissamos em helicópteros, sedamos animais selvagens com tranquilizantes, estudamos seus corpos. Enquanto eles estão drogados, os marcamos e decolamos. As pessoas têm uma grande variedade de reações para o que elas sempre fazem, mesmo que passem exatamente pela mesma experiência.
As suas pesquisas revelam a existência de registros de cerca de 2.500 aparições marianas, em todo mundo, nos últimos séculos. Você acredita que avançadas civilizações cósmicas estão por trás desses fatos? O que te leva a crer sobre isso? Quais são as evidências? 
As mais de 2.500 aparições marianas são visões reais da Virgem Maria e não têm nada a ver com os óvnis. Essa é uma nova linha de minha pesquisa, sobre os fenômenos sobrenaturais e os milagres religiosos, tudo relacionado a provar a realidade de Deus, muitas vezes com investigação científica. Você sabia que a ciência estudava esses visionários e descobriu que eles estavam em um nível elevado de realidade e viviam em contato com um ser sobrenatural (mas não origem estrangeira)? Você sabia que o pão e o vinho da comunhão foram modificados para se transformarem em sangue e carne humana? Em estudos cegos, os cientistas descobriram que era sangue humano e tecido cardíaco de um homem que havia sido espancado e torturado. No entanto, eles não podiam explicar por que seu DNA não tinha código genético. Você sabia que até 300 pessoas sagradas da fé católica têm seus corpos preservados, não apodreciam após a morte, apesar de passarem centenas de anos? Eu vou tirar fotos disso. Esses e outros mistérios divinos estão no meu novo livro intitulado “Não tenha medo de seguir as pegadas do céu” – disponível na Amazon e em e-books.
Uma das histórias mais conhecidas em todo o mundo é o caso da Área 51 nos Estados Unidos. O que o senhor tem a nos dizer sobre essa misteriosa história? 
Sim. Eu concordo que o nosso governo escondeu muito, porque muitos informantes revelaram esse caso, e milhares de documentos também o provam. Cerca de 1.500, apenas da nossa CIA. A Área 51 foi uma instalação de pesquisa secreta, fortemente protegida, em uma base remota em 86 mil hectares de terras proibidas. Acredita-se que tais operações foram transferidas para outro lugar quando a divulgação ficou muito alta.
Mais um post by: UFOS ONLINE

Nenhum comentário:

Postar um comentário