1b

Bolivia TRINIDAD catalunia Angola portorico dominica Chile México India Israel malasia noruega Australia Mozambique colombia Equador Camboya Bulgaria Romenia Costa Guatemala Polonia Lanka Suiza Vietnam Panama Finlandia Belgica Tailandia Bhutan San Domingo Peru

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Os Humanos Evoluíram dos Repteis? Adão e Eva Reptilianos? Afinal, quem são os Reptilianos?

Por Joe Lewels (*)

Fazer comentários sobre o mito ou lenda dos reptilianos é certamente uma das maneiras mais fáceis de ser criticado e se queimar feio, por isso, eu também vou ser breve e deixarei este assunto talvez para o futuro, como aliás todos que sabem um pouco mais também o fazem.

Mas é inegável que há algum mito arquetipal no inconsciente do homem ligado aos antigos e já desaparecidos reptilianos da época jurássica, época na qual, ensina a teosofia, que estávamos presente também (como lemurianos ou mesmo raça anterior), mas não com este atual “corpicho”, que não daria nem para saída para viver naqueles tempos. Certamente, neste caso, éramos fortes, gigantescos e tão duros ou mais que o aço atual e com uma aparência de reptiliano mesmo, caso contrário sucumbiríamos, mas deixemos isto na teoria que afinal somente será provada acaso possamos viajar no tempo.

Não vamos nem adentrar nestes comentários sobre os Grays ou Greys ou seres cinzas, que é demais por enquanto. Mas algo me diz que são seres que estão muito próximos de nós, quem sabe o seu vizinho, algum político, governante ou ator de televisão seja um deles. Teoria da conspiração? Hummmm, deixa para lá. Dá um bom filme ou novela.

Gostei do artigo de Joe Lewels sobre a sua investigação a respeito, embora algumas vezes faça referências a extra-terrestres, para os quais temos outra opinião. Deparei-me com este artigo quando lia a respeito do livro Deus Hipótese, o qual é muito interessante também.

Divirtam-se e espero que apreciem também, a versão em português encontrei num outro site e acho que está boa.

“THE REPTILIANS: Humanity’s Historical Link To The Serpent Race
By Joe Lewels, Ph.D.
(From FATE Magazine, June 1996)

Os seres tipo serpente não estavam sozinhos, mas eram parte de um conjunto de super seres que os antigos pensavam serem deuses. Em culturas tão distantes e diversas como aquelas da Suméria, Babilônia, Índia, China, Japão, México, e América Central, os deuses reptilianos tem sido temidos e venerados. Até este dia o dragão ou a serpente significa a divina herança e realeza de muitos países asiáticos, enquanto que no ocidente a serpente significa sabedoria e conhecimento. O símbolo de duas serpentes enroladas em um bastão (originalmente significando a árvore do conhecimento do mito antigo), conhecida como caduceu, é hoje usado pela American Medical Association como seu logo.

Interessantemente, histórias de seres reptilianos que exercem controle mental sobre cativos humanos enquanto realizam procedimentos médicos neles tem emergido da pesquisa de alguns dos mais conhecidos investigadores UFO, como Budd Hopkins, John Carpenter, Linda Moulton Howe, Yvonne Smith, e outros. Estas histórias, contadas por americanos médios, mentalmente competentes, tem emergido independentemente uma das outras em diferentes partes do país, mas não tem atraído muita atenção pública. Elas falam de encontros humanos com criaturas que têm distintamente características reptilianas: mãos com membranas e tipo garra, grandes olhos dourados com pupilas verticais e pele escamosa marrom esverdeado. Estas histórias tem circulado pela comunidade de pesquisa UFO por anos, mas poucos especialistas tem tido qualquer idéia de como interpretar estas “lendas”.

Tão amedrontadoras e inacreditáveis elas eram no passado, que muitos pesquisadores meramente as arquivavam em suas mentes para referência futura muito mais que se arriscarem a parecerem tolos ou serem ridicularizados. Pouco a pouco, nas conferências UFO realizadas por todo o país, abduzidos e pesquisadores ouviram uns dos outros experiências similares com criaturas reptilianas, e gradualmente estas histórias vieram a público.

Hoje os pesquisadores concordam que há uma variedade de entidades envolvidas no cenário da alien-abdução, inclusive os familiares greys; louros altos de aparência humana; reptilianos; e híbridos (meio-humano e meio-alien). Além disso, parecem ocorrer variações de cada um destes que implica em cruzamentos e considerável diversidade. Não está claramente compreendido como cada tipo interage com os outros, embora seja relatado que são vistos trabalhando juntos.
Os Achados da MUFON de John Carpenter têm acompanhado intensamente o fenômeno da abdução. Ele é o diretor da pesquisa de abdução da Mutual UFO Network (MUFON), uma das maiores e mais respeitáveis organizações dedicadas aos estudos de UFOs e abduções. Carpenter possui um grau de mestrado em assistência social e é um hipnoterapeuta altamente qualificado que trabalha como um assistente social-psiquiátrico em Springfield, Missouri. Desde o final da década de 80, ele tem trabalhado com mais de cem abduzidos e compilado informações de centenas de outros. Além disto, ele está em contacto com outros pesquisadores no campo. Ele tem estado envolvido em 10 casos onde os vivenciadores têm descrito entidades reptilianas e ele está ciente de pesquisadores em outras partes do país com casos similares. Os abduzidos frequentemente têm distintos cortes como de garras e arranhões em seus corpos após as suas aparentes abduções.

Carpenter sumarizou o que sabe sobre estes seres em sua coluna regular “Abduction Notes,” MUFON UFO Journal, April 1993: “Tipicamente, estas criaturas são descritas como tendo entre 6 e 7 pés de altura, eretas, com escamas tipo lagarto, de cor esverdeada ou amarronzada com quatro dedos com membranas e tipo de garras… Suas faces são uma mistura entre um humano e uma serpente com um sulco central vindo descendo do alto da cabeça ao focinho… Acrescente-se a sua aparência tipo serpente os olhos que tem pupilas verticais e são de iris douradas .” Talvez o mais assustador e controverso pedaço desta história sejam as afirmativas de que estas criaturas por vezes fazem sexo com os abduzidos.

Sustentando os achados de Carpenter está um estudo da MUFON que teve ajuda financeira do Fund for UFO Research. Este massivo estudo, conhecido como “Abduction Transcription Project,” é uma tentativa de coletar e correlacionar informação sobre centenas de casos de abdução através do uso de um sofisticado sistema de base de dados por computador. Em julho de 1995 no simpósio da organização em Seattle, Washington, Dan Wright apresentou os achados baseado em 142 casos distintos e 560 transcritos. Wright disse, “Uma simples leitura destas sessões indica fortemente que múltiplos grupos de entidades tem estado rotineiramente se introduzindo nas vidas de americanos – tanto crianças quanto adultos… Quando um chamado reptiliano é repetidamente descrito como tendo o mesmo tom de pele escamosa, garras por dedos, e um extremo interesse na sexualidade, devemos prestar atenção.”

Os resultados preliminares do estudo indicam que os seres de tipo reptiliano tem sido relatados em uma percentagem relativamente menor (menos de 20%) dos casos que estão sendo estudados.

NÃO DESTA GALÁXIA

Sejam os seres relatados pelos abduzidos Greys, louros, reptilianos ou qualquer outra variedade, o cenário da abdução é simplesmente consistente entre os milhares de casos estudados desde muito longe. Além de haver numerosos procedimentos médicos realizados neles, os abduzidos também relatam que receberem informações na forma de símbolos e de imagens, cujo significado não é claro, mas que tem muita relação com futuros desastres da Terra. Os seres muitas vezes se referem a si mesmos como “Os Observadores” , “que têm a custódia”, ou “guardiães da Humanidade” e todas as coisas vivas da Terra, e dizem que estão preparando para um tempo em futuro próximo quando as mudanças globais irão afetar dramaticamente a vida em nosso planeta. Em alguns casos eles tem indicado que vêm de várias partes do Universo, inclusive de outras galáxias, ou de “um lugar muito distante”.

Na certa o que é o aspecto mais perturbador dos procedimentos relatados, tanto por homens como por mulheres abduzidos, mas mais frequentemente mulheres, são os relatos de lhes terem sido mostradas salas cheias com tubos de vidro onde estão se desenvolvendo fetos híbridos, como um jardim hidropônico. Em muitos casos, tem também visto berçários de infantes híbridos ou salas cheias de crianças híbridas de idades variáveis. Às vezes os seres trazem um infante ou uma criança para as mulheres abraçarem e amarem, e lhes dizem que são seus filhos.
Estes eventos foram relatados pela alien-abduzida Betty Andreasson Luca, cujo caso tem sido submetido a investigação por mais de 20 anos e que tem sido assunto para quatro livros do investigador UFO Ray Fowler. Em seu livro The Watchers, Fowler relata uma sessão de hipnose na qual Betty lembrou que os seres que a levaram a bordo da nave tinham lhe dito que “o homem vai se tornar estéril” por causa da poluição meio ambiental. Depois, lhe foi dito que eles eram “bons e maus Observadores,” a que Betty se refere como anjos.

Ela foi avisada que há alguns que estão “contra o homem, que ferirão o homem e destruirão o homem.”

EVIDÊNCIA NOS MANUSCRITOS DO MAR MORTO

Referências a Observadores, anjos bons e maus, e bebês híbridos podem ser encontradas em muitos textos antigos inclusive no Velho Testamento, que tomou muita coisa emprestada de documentos mais antigos, inclusive os livros de Enoch. O profeta Enoch é mencionado no Genesis como o filho de Caim e pai de Methuselah, e se acredita ser um dos patriarcas antediluvianos que, juntamente com Noé, “andou com Deus”. (Genesis 5:24; 6:9). Livros escritos por escritores anônimos mas creditados a Enoch davam grande credibilidade aos iniciais sábios judeus e portanto influenciaram os escritores do Velho Testamento. Partes dos livros de Enoch escritos em aramaico foram encontradas entre os rolos de pergaminho nas cavernas de Qumran em 1947, tendo sido colocados lá aproximadamente há 2.000 anos atrás por uma seita judaica conhecida como Essênios. Este de fato são os Pergaminhos do Mar Morto. Uma outra versào existe em etíope.

Segundo os textos em aramaico, “Enoch era o primeiro entre os filhos dos homens nascidos na Terra que tinha aprendido escrita, ciência e sabedoria” dos anjos. Em um escrito, o Book of the Watchers, nós aprendemos que os Watchers (Observadores) sâo anjos que são bons ou maus Watchers. Nos é dito que os Watchers são anjos do Senhor, “que vem a Terra para instruir os filhos dos homens e trazer justiça e equidade a Terra.”

Mas no caso de anjos maus, a ciência que eles ensinam se destina a fins malignos pore causa de seus pecados.
Seu pecado é que eles permitem que seu apetite sexual os domine: ” Quandos os maus Watchers desceram e tomaram as filhas do homem, eles começaram a se corromper com elas. Quando os filhos de Deus viram as filhas dos homens, eles não resistiram a sua inclinação.”
Estes Watchers cairam da graça de Deus quando Enoch viajou para o céu em forma física para testemunhar contra eles. Ele disse a Deus que os Watchers “tinham ido às filhas dos homens e assim se tornaram impuros”.

Como punição para os pecados dos maus Watchers contra a Humanidade , Deus destrói a Humanidade, inclusive a raça híbrida de seres que eram o produto dos humanos com os Watchers, causando uma grande inundação. Os maus Watchers são postos em um poço fundo e aprisionados por quatro chefes dos bons Watchers, os arcanjos Miguel, Sariel, Rafael, e Gabriel.

Uma outra referência interessante aos Watchers foi achada na mesma caverna dos livros de Enoch, mas não foi conhecida até 1992, quando dois sábios bíblicos, Robert Eisenman e Michael Wise, publicaram seu livro The Dead Sea Scrolls Uncovered.

Entre 50 documentos liberados pela primeira vez neste livro está uma referência aos Watchers que é única, porque fornece uma das poucos descrições físicas deles.

O texto, chamado “O Testamenho de Amram,” descreve a experiência de uma pessoa chamada Amram que tinha “um anjo e um demônio disputando a suas alma” : “(eu vi Watchers) em minha visão, a visão do sonho. Dois (homens) estavam lutando sobre mim. Eu perguntei a eles, “quem são vocês que (tem sido) dado o poder sobre mim?” Eles responderam-me, “nós temos o poder sobre toda a Humanidade”, eles me disseram, “qual de nós você escolhe para governar sobre você?” Eu levantei meus olhos e olhei. Um deles era aterrorizante em aparência, como uma serpente, seu casaco muito colorido mas muito escuro…. e eu olhei novamente, e…. em sua aparência, sua imagem era como uma víbora…. eu repliquei a ele, “Este (Watcher,) quem é ele? Ele respondeu-me, ‘Este Watcher…. (e seus três nomes são Belial e Principe das Trevas) e Rei do Mal”.

O que torna este testamento ainda mais intrigante é o fato de que o pouco conhecido personagem Amram de fato é um personagem muito importante. Amram, por sua vez, era o pai de um dos mais famosos contatados da história, o homem que livrou os judeus da escravidão no Egito. Esta pessoa, de fato, não é outra senão Moisés!

DEUSES REPTILIANOS EXTRATERRESTRES

Se as únicas referências aos reptilianos estivessem nos textos antigos isto poderia facilmente ser descartado, mas as histórias destas criaturas datam dos primeiros escritos humanos, aqueles da Suméria (significa “terra dos guardiães”), Babilônia (significa “portão dos deuses”), e outras civilizações da antiga Mesopotamia. Entre milhares de tabletes de argila que têm sido descobertos e traduzidos datando dos mais iniciais registros da história, estão documentos que registram eventos datando de 240.000 anos atrás. Um destes, a lista do “Rei Sumeriano”, conta a história de um deus, An, deus-chefe de uma raça extraterrestre chamada Annunaki, e seus filhos, Enki e Enlil. Está claro nos textos e nas ilustrações deixadas pelos sumérios que no mínimo alguns destes “deuses”. inclusive Enki (também conhecido como EA), eram reptilianos na aparência. É Enki que primeiramente dá as pessoas o fruto da árvore do conhecimento e que mais tarde salvou a Humanidade ao avisar uma figura do tipo Noé da grande inundação.

Estas histórias são tão similares ao Velho Testamento que pode-se apenas concluir que os autores do Velho Testamento tomaram pesadamente emprestado das histórias sumerianas. Na “lenda” sumeriana, Enki recebe a tarefa de criar uma força de trabalho para ajudar os Annunaki a preparar o solo e minerar os metais que os faziam vir a Terra. Ele fez isto através de consideráveis tentativas e erros, no processo criando estranhas criaturas. A lenda implica em que Enki possuia uma tecnologia altamente avançada que incluia a capacidade de alterar geneticamente as espécies indígenas. Usando um processo misterioso para criar uma substância tipo argila, ele foi capaz de “curvar-se sobre a imagem dos deuses”, indicando que ele usou gens Annunaki para criar espécies híbridas . Isto também implica que alguns dos humanos iniciais tinham aparencia reptiliana.
Uma estátua (não mostrada) de uma criatura biologicamente acreditavel, criada por Dr. Dale Russell do Canadian National Museum of Natural Sciences, sugere que a evolução pode ter produzido dinossauros que sobreviveram. Sua aparência é similar aos seres descritos pelos abduzidos. A foto da estátua (não mostrada) foi retirada do livro The Search for Extra Terrestrial Intelligence, de Edward Ashpole, Sterling Publishing Co, Inc.

NOSSOS ANCESTRAIS REPTILIANOS

Tão ridículo quanto repugnante isto soa, é comumente aceito pela ciência moderna que os ancestrais iniciais da Humanidade podem ter sido répteis. Segundo as explicações Darwinianas das origens da espécie humana, os mamíferos evoluíram de répteis e ganharam domínio sobre a Terra somente depois que um grande desastre de natureza monstruosa destruiu os dinossauros. É teorizado que somente então os mamíferos foram capazes de proliferar e evoluir a seres inteligentes. É ainda mais importante que a antiga história da criação sumeriana deva ser tão paralela a visão de Darwin. Em ambos os casos os humanos são ditos relacionados a uma raça superior reptiliana e, em ambos os casos, um grande cataclisma erradica a espécie anterior. (na bíblia, era uma raça híbrida de gigantes conhecida como Nephilim que Deus quis destruir). Finalmente, em ambas as histórias, os sobreviventes do desastre recomeçam, casualmente evoluindo para humanos.

Em seu livro The Dragons of Eden, o conceituado astrônomo Dr. Carl Sagan especula sobre as origens reptilianas dos humanos e o misterioso salto na evolução do cérebro que pode ser encontrado no registro fóssil. Ele salienta que se as pessoas tivessem evoluído naturalmente de répteis, como afirmam os Darwinistas deveria demorar 200 milhões de anos para os mamíferos primeiramente evoluirem, e então outros 5 a 10 milhões de anos para os humanos evoluirem. Mas ele ressalta com extrema confusão que o registro fóssil simplesmente não sustenta esta conclusão. De fato, a evolução dos mamíferos, e particularmente dos humanos, foi de ocorrência muito rápida, “em um maior impacto da evolução cerebral.”. A evidência para isto fica muito clara no fato de que os instrumentos de pedra não aparecem gradualmente, mas sim “aparecem em enorme abundância todos de uma vez”. Frustrado, Sagan conclui que “nào há maneira de explicar isto a menos que o Australopithecines tinha instituições educacionais, para ensinar a confecção de instrumentos.

De fato há uma outra explicação mas ninguém da corrente científica principal ousaria sequer considerá-la. A alternativa é admitir que Deus ou seres como deuses aceleraram o processo evolucionário.”

A PARTE REPTILIANA DO CÉREBRO

Sagan vai para o enigma das similaridades entre o cérebro humano e o cérebro reptiliano. Ele ressalta que no núcleo do cérebro humano reside um vestígio de nosso passado reptiliano. Esta parte do cérebro, conhecida como R-complex (complexo reptiliano), é dito fazer parte do cérebro que realiza as funções do dinossauro – comportamento agressivo, territorialidade, ritual e estabelecimento de hierarquias sociais. A camada do meio é chama de sistema límbico, e pensa-se que gere amor, ódio, compaixão e sentimentalismo – caracteristicas que se acredita serem estritamente mamíferas. A maior parte do cérebro humano, o neo cortex e sua camada externa, acreditar ser a casa da razão e deliberação e “o lugar onde reconhecemos a diferença entre o mal e o bem”.

Uma vez mais, a ciência parece concordar com os antigos mitos da criação, foi o conhecimento do bem e do mal (dado a eles pela serpente) que causou a queda do primeiro homem e da primeira mulher da graça do Criador. Se o Criador era um reptiliano, então pode ser que ao tornar-se mamífera – e desenvolver um neo cortex – a Humanidade se tornou menos reptiliana, portanto caindo da graça.

Outros textos antigos sustentam esta perturbadora conclusão. Em 1945, em uma pequena cidade do Egito, um vaso de argila foi encontrado contendo manuscritos antigos similares aqueles do Mar Morto. Eles são conhecidos como textos de Nag Hammadi, assim chamados por causa do nome da cidade onde eles foram encontrados. Eles contam a história da criação humana desta forma: Os corpos de Adão e Eva foram cobertos por uma pele áspera que era brilhante como a luz do dia, como uma vestimenta luminescente. Portanto, parece, não precisavam usar roupas.

Posteriormente, estes textos contam uma história muito diferente sobre a Árvore do Conhecimento daquela que é contada no Genesis:”Ela tomou um pouco desta fruta e comeu, e deu dela a seu marido tambem… então suas mentes se abriram. Após comerem, a luz do conhecimento brilhou para eles.

Quando eles viram seus criadores, eles os desprezaram já que eles eram formas bestiais. Eles entenderam demais .”

Em um outro antigo documento judeu, conhecido como Haggadah, fica claro que a serpente não era meramente uma cobra :”Entre os animais , a serpente era o mais notável. De todos eles, ela tinha a maioria das excelentes qualidades, entre as quais aquela que ele semelhava no homem. Como homem, ele ficou ereto sobre os dois pés, e em altura era igual a um camelo… seus superiores dons mentais fizeram com que se tornasse um infiel. O que explica a sua inveja do homem, especialmente as suas visitas conjugais…. Sua punição por tentar Eva foi , como Deus disse: ‘Eu criei você para ser o rei dos animais… mas você não ficou satisfeito… eu criei você de postura ereta…. portanto você deve ir se arrastar sobre a sua barriga .'”

Estas tantalizantes pistas do distante passado parecem dar no mínimo alguma sustentação a idéia de que os ocupantes de UFOs de hoje, reptilianos ou não, são exatamente o que dizem ser – os antigos guardiões da Humanidade. Se assim é, então a teoria de que UFOs são pilotados por aliens de outros planetas deve ser cuidadosamente reavaliada. Mas seja qual for a resposta, está claro que os investigadores UFO tem suas mãos cheias para lidar com este duradouro e surpreendente mistério.”

NOTA:
(*) Joe Lewels é um pesquisador independente atualmente trabalhando em um livro que lida com UFOs e suas implicações religiosas. Ele está coletando histórias sobre encontros com reptilianos e convida os leitores com experiências deste tipo a escreverem para ele sob os cuidados da revista FATE. Todas as cartas serão repassadas a Lewels .
Mais um post by: UFOS ONLINE

                                             Veja o Vídeo Abaixo:

                                         Fonte:Jaconor 73

Nenhum comentário:

Postar um comentário