1b

1

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Aceitarias Ser Um Cidadão de Asgardia, O Primeiro Estado-Nação No Espaço?

Impressão de um artista do primeiro satélite da nova nação espacial. Ilustração: James Vaughan

Foram reveladas as propostas de uma nova nação espacial, com o objectivo de abrir acesso à tecnologia espacial, proteger a Terra de ameaças cósmicas e promover a paz.

As propostas para o “primeiro Estado-nação no espaço” foram reveladas por uma equipe de cientistas e juristas, que dizem que o movimento promoverá a paz, abrirá o acesso às tecnologias espaciais e oferecerá proteção para os cidadãos do planeta Terra.

Apelidado de “Asgardia” em homenagem a um dos mundos míticos habitados pelos deuses Nórdicos, a equipe afirma que a “nova nação” acabará por ser um membro das Nações Unidas, com a sua própria bandeira e hino escolhido pelo público através de uma série de concursos.

De acordo com o site do projeto, Asgardia “oferecerá uma plataforma independente, livre do constrangimento das leis de um país em terra. Será um lugar em órbita que é verdadeiramente a ‘terra de ninguém'”.

Inicialmente, ao que parece, essa nova nação será composta por um único satélite, que deverá ser lançado no próximo ano, com os seus cidadãos a viverem firmemente em terra firme.

Falando para o jornal Inglês The Guardian através de um intérprete, o líder do projeto Igor Ashurbeyli, disse: “fisicamente os cidadãos desse Estado-nação estarão na Terra, vivendo em diferentes países, sendo cidadãos do seu próprio país e, ao mesmo tempo cidadãos de Asgardia.”

“Quando o número dessas aplicações atingir 100.000, podemos solicitar oficialmente à ONU o status de Estado”, acrescentou.

De acordo com o site do projeto “Qualquer humano que vive na Terra pode ser um cidadão de Asgardia,” o site dispõe de um simples formulário de inscrição. Até o momento da redação deste artigo,  mais de 1000 pessoas tinham completado a sua inscrição.
Impressão de um artista de um escudo de Asgardia, protegendo a Terra de ameaças naturais e artificiais que variam desde asteroides ao lixo espacial. Ilustração: James Vaughan

Quando perguntado por que as pessoas devem registrar-se para se tornarem cidadãos de Asgardia, Ashurbeyli disse: “Eu acredito que, logo que este país fizer parte da família das Nações Unidas, a cidadania desse país será realmente muito prestigiada.”

Um empresário e nanocientista russo que também fundou a International Aerospace Research Center, com sede em Viena e atualmente presidente de Ciência da comissão espacial da Unesco, Ashurbeyli disse que o projeto visa iniciar uma conversa sobre os regulamentos que cercam a atividade espacial.

Atualmente, o Tratado do Espaço Exterior que certifica o Direito Espacial Internacional afirma que a responsabilidade pelos objetos enviados no espaço é da nação que os lançou.
Mas a equipe do projeto afirma que Asgardia irá definir um novo precedente, transferindo a própria responsabilidade para a nova “nação espacial”

“As agências estatais existentes representam os interesses dos seus próprios países e não existem muitos países no mundo que têm essas agências espaciais”, disse Ashurbeyli.

“O objectivo final é de criar uma plataforma legal para garantir a proteção do planeta Terra e para fornecer acesso a tecnologias espaciais para aqueles que não têm esse acesso no momento.”

Christopher Newman, especialista em direito espacial na Universidade de Sunderland do Reino Unido, disse que o projeto reflecte o fato de que a paisagem geopolítica da actividade espacial mudou desde o Tratado do Espaço Exterior elaborado na década de 1960.

Mas, acrescentou, que não estava claro como Asgardia se encaixaria nos regulamentos internacionais em vigor, sendo que o projecto enfrenta obstáculos significativos, em obter o reconhecimento da ONU em favor de Asgardia, por questões de responsabilidade.

“É um desenvolvimento interessante em muitos aspectos, porque será interessante ver o que vai acontecer”, disse Newman. “Mas existem obstáculos formidáveis no direito espacial internacional para superar. O que eles estão realmente a defender é uma re-visitação completa do Atual quadro jurídico espacial”.

Ashurbeyli diz que espera-se que Asgardia seja um “Estado de lançamento” oficial. Mas, admite que pelo menos no curto prazo, seja necessário a cooperação de outros países.

Enquanto as propostas do projeto continuam vagas, a visão para Asgardia é sublime. A equipe disse que um dos seus primeiros planos é criar “um estado-de-arte do escudo protetor para toda a humanidade contra ameaças cósmicas artificias e naturais para a vida na terra.” Tais ameaças, dizem eles, incluem os perigos representados pelo lixo espacial e, até mesmo asteroides. Mas, até a data presente, os detalhes sobre qual seria a forma deste escudo permanece ainda um mistério.

E enquanto o projeto não inclui atualmente planos para criar um assentamento Asgardiano no espaço, Ashurbeyli acredita que a vida fora da Terra será vital para o futuro da humanidade. “Estamos a lançar as bases para tornar isso possível no futuro distante”, disse ele.
Fontes:
Mais um post by: UFOS ONLINE

                                          Veja o Vídeo Abaixo:


                                        Fonte:ARTICLES-TUBE

4 comentários:

  1. Creio que este cidadão, esqueceu que estamos numa transição planetária e ascensão do planeta, planejar ou promover qualquer coisa, para um futuro que nunca chegará e não vai se concretizar, é criar mais desinformações sobre a nossa verdadeira realidade. O destino da humanidade e da terra já está escrito, ninguém pode mudar o que o Pai decidiu e assim será.

    ResponderExcluir
  2. Deve ser muito legal para aqueles que não temem a morte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A morte não existe, mas a morte ou dissolvimento do corpo físico, mas a nossa consciência segue em outro corpo e também em outra dimensão. O medo, a personalidade, o mental, o pessoal, a materialidade, a dualidade, a separação... Pertencem a esse mundo, lembrem-se, que todos que vieram para este mundo foram condicionados, para melhor se adaptar, ou seja, tudo nos foi ensinado aqui... A maneira de funcionamento de toda a estrutura de vida neste planeta e também de sua preservação e entre outros.

      Excluir