1b

Bolivia TRINIDAD catalunia Angola portorico dominica Chile México India Israel malasia noruega Australia Mozambique colombia Equador Camboya Bulgaria Romenia Costa Guatemala Polonia Lanka Suiza Vietnam Panama Finlandia Belgica Tailandia Bhutan San Domingo Peru

domingo, 24 de julho de 2016

Criatura Alada Misteriosa encontrada no México, Seria uma fada ou um extraterrestre?

O que é esta criatura alada estranha, não possuindo nenhuma semelhança com qualquer animal que a ciência sabe atualmente? A criatura misteriosa foi descoberta por uma estrada no México.Seria uma fada, um extraterrestre? Ou pode ser um "Locust", tal como descrito na Revelação capítulo 9?
Esta criatura estranha parece muito assustadora, tem orelhas pontudas, o corpo se assemelha a um ser humano e uma cauda traseira.


Algumas pessoas no México estão convencidas de que essa criatura alada é um "alien". Esta etiqueta é aplicada quase que instantaneamente a qualquer entidade demoníaca estranha. Muitos têm apontado que a misteriosa criatura tem algumas semelhanças com os "gafanhotos", que também são descritos no capítulo 9 do livro do Apocalipse:

O aspecto dos gafanhotos era semelhante a cavalos preparados para a batalha. Sobre as suas cabeças foram algo como coroas de ouro, e seus rostos eram como rostos de homens.

8. E tinham cabelos como cabelos de mulheres e os seus dentes eram como dentes de leão.
9. Eles tinham couraças como couraças de ferro e o som das suas asas era como o ruído de carros com muitos cavalos correndo para a batalha.

10. Eles têm caudas como escorpiões e picadas em suas caudas. Seu poder era para danificar os homens por cinco meses.

11. Tinham sobre si como rei o anjo do abismo, cujo nome em hebraico é Abaddon, e em grego é o seu nome Apollyon, o destruidor.

A pequena criatura alada, está agora na posse do jornalista mexicano Jaime Maussan que tornou analisados por um perito forense. Assista ao vídeo!
Obs: No vídeo abaixo ative a legenda com tradução.
Mais um post by: UFOS ONLINE

Veja o Vídeo Abaixo:


                                        Fonte:L. A. Marzulli

Um comentário: