1b

Bolivia TRINIDAD catalunia Angola portorico dominica Chile México India Israel malasia noruega Australia Mozambique colombia Equador Camboya Bulgaria Romenia Costa Guatemala Polonia Lanka Suiza Vietnam Panama Finlandia Belgica Tailandia Bhutan San Domingo Peru

quarta-feira, 29 de abril de 2015

EXTRATERRESTRES: Visitantes Espaciais Teriam Vindo Esclarecer o Homem Primitivo


José Alves Martins

Vacinas, computador e bomba atômica já eram conhecidos.

São muitas as evidências de que seres extraterrestres estiveram na Terra milhões de anos antes do aparecimento dos humanos. Mais tarde esses astronautas teriam também por incumbência esclarecer, ensinar e ajudar o homem primitivo. Pesquisadores especulam se esses visitantes espaciais podem teriam interferido no processo genético de que resultou no surgimento do espécime intermediário entre o macaco e o homem, chamado de elo perdido.

Como vimos em artigo anterior, a paleontologia e a arqueologia descobriram indícios e rastros que constituem claras evidências da presença de seres extraterrestres na Terra milhões de anos antes do aparecimento do ser humano neste mundo. Certamente essas criaturas, a serviço das altas hierarquias do Astral Superior, teriam por missão acompanhar e monitorar a evolução geológica e biológica do planeta desde essas remotíssimas eras da pré-história.

Diante de tais evidências, pesquisadores especulam que esses visitantes espaciais podem ter interferido no processo genético de que resultou no surgimento do espécime intermediário entre o macaco e o homem, chamado, na teoria evolucionista, de elo perdido, ainda não encontrado ou explicado pela ciência.

Ainda no cumprimento de determinações desses altíssimos planos do Astral Superior, responsáveis pela evolução dos inumeráveis mundos que rolam no Universo, tais astronautas teriam também por incumbência esclarecer, ensinar e ajudar o homem primitivo. Conclusão a que também chegou o já citado Andrew Tomas, autor da obra Não Somos os Primeiros, baseando-se em fatos e descobertas da própria ciência.
Sob esse monitoramento exercido pelos extraterrestres, o primata teria começado a deixar o reino animal, desenvolvendo um cérebro maior e assumindo postura erecta; e depois, muito depois, se teria transformando no verdadeiro homem, ao desenvolver a capacidade de elevar-se no mundo das idéias, de apreciar a beleza, de distinguir entre o certo e o errado, e ao se aventurar nos domínios do pensamento abstrato, vale dizer, das verdades espiritualistas, das ciências e das artes. "A história da civilização é o relato da ascensão do homem no mundo mental", observa ainda aquele autor.

A propósito, passemos ao outro tema deste artigo: os avançados conceitos científicos e tecnológicos conhecidos e praticados já em épocas tão remotas como a Pré-história e a Antiguidade. Segundo Andrew Tomas, a única explicação para esses conhecimentos é que teriam origem cósmica, uma fonte externa desconhecida, e só agora estariam sendo redescobertos pela ciência do nosso tempo. Realmente, seria impossível aos homens primitivos das cavernas ou palafitas e mesmo aos da Antiguidade ter os surpreendentes conhecimentos e realizar os admiráveis feitos que, a seguir, destacamos:

A pirâmide de Quéops, no Egito, ainda é a maior construção megalítica do mundo.

Os babilônios e os indianos inventaram baterias elétricas há 4 mil anos.

A civilização maia conseguiu, entre outras realizações notáveis, elaborar um calendário mais preciso que o nosso.
Os antigos gregos já admitiam a existência dos planetas que orbitam nas regiões do Sistema Solar além de Saturno, o que a nossa ciência desconhecia até há poucos séculos.

Entre as histórias mais incríveis da Antiguidade, citam-se as que se referem à levitação ou poder de neutralizar a gravidade (antigravitação). Assim, por exemplo, podiam-se erguer no ar pesadas pedras que mil homens não conseguiriam levantar. Segundo a opinião de pesquisadores, teria sido esse o recurso utilizado, no antigo Egito, para transportar e erguer os colossais blocos de rocha usados na construção das grandes pirâmides.

Os filósofos da Grécia antiga e os sacerdotes brâmanes afirmavam existir outros mundos habitados – os mundos-escola de que fala o Racionalismo Cristão.

Os povos do Oriente conheceram, num passado remoto, a eletricidade, assim como outros tipos de energia, e os sábios da Antiguidade construíam lâmpadas perpétuas que permaneciam acesas durante séculos, cujo segredo a ciência moderna, de que tanto nos orgulhamos, não conseguiu descobrir até hoje.

Os antigos tinham conhecimento de máquinas voadoras, a ponto de terem deixado minuciosas descrições de tais engenhos. Sabiam, também, da existência da América e da Antártida.

As pinturas rupestres de Altamira (Espanha) e Lascaux (França), criadas na Pré-história, são obras-primas que nada ficam a dever às de Da Vinci e Picasso.

É atordoante para nós, modernos, constatar que o Mahabharata, livro indiano escrito há milhares de anos, menciona bombas atômicas e que outras obras antigas fazem referência a robôs e computadores. Com efeito, foram encontrados no mar, no século passado, perto da ilha de Antikythera, fragmentos de dispositivo mecânico grego, datado de 65 antes de Cristo, identificados por especialistas como partes de um computador, confirmando assim a veracidade daquelas obras.

Se você acha que a vacinação é uma descoberta moderna, saiba que ela foi descrita nos Vedas, livro indiano escrito há mais de 3.500 anos. Nesse mesmo livro encontra-se, ainda, um dos registros mais antigos do conceito Força Universal, conhecido, como já vimos, desde épocas pré-históricas, e também preconizado pelo Racionalismo Cristão, doutrina surgida no século XX.
Fonte:http://www.arazao.net 


                                                Veja o Vídeo Abaixo:


                                              Fonte:EL GRAN CIELO

Nenhum comentário:

Postar um comentário