1b

Bolivia TRINIDAD catalunia Angola portorico dominica Chile México India Israel malasia noruega Australia Mozambique colombia Equador Camboya Bulgaria Romenia Costa Guatemala Polonia Lanka Suiza Vietnam Panama Finlandia Belgica Tailandia Bhutan San Domingo Peru

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

A Devastadora Tempestade Solar de 1859, Será que Estamos Indo para o Mesmo Caminho?


Em 1859, a Terra foi atingida por uma tempestade solar que estendeu as auroras boreais e austrais por todo o globo e colocaram os postes do mundo inteiro em chamas.
Richard Carrington foi um astrônomo que percebeu algo muito estranho na superfície do Sol em 1859: grandes manchas pretas haviam aparecido em toda a superfície da estrela. 


Enquanto Carrington ainda estava tentando dar sentido a isso, ele viu dois globos de luz brilhante em erupção desses pontos. Horas mais tarde, a Terra foi atingida por uma tempestade geomagnética com uma força de 10 bombas de hidrogênio.

Uma bomba de hidrogênio, designação mais adaptada ao seu significado bomba termonuclear, é uma bomba que consegue ser até 750 vezes mais forte do que qualquer bomba nuclear a fissão.

A rede de telégrafos em todo o mundo foi destruída, cortando a comunicação – os postes telegráficos explodiram em chuvas de faíscas. Mais tarde, houve relatos de máquinas de telégrafo estarem tão cheias de energia que elas poderiam funcionar por até 90 segundos desconectadas de qualquer fonte de energia. Talvez tenha sido esse excesso de energia que explodiu os postes de telégrafos
Em todo o planeta, o céu estava brilhante e colorido – as auroras boreais e austrais eram muito mais fortes do que o habitual e apareceram em lugares nunca vistos, chegando até a região do equador.


Isto tornou-se conhecido como “O Evento Carrington” – a maior tempestade solar dos últimos 500 anos. Se o mesmo evento viesse a acontecer hoje, ele poderia derrubar nossos satélites, afetar desde o GPS até as transações com cartões de crédito. Em seguida, ela poderia destruir transformadores de rede de energia cruciais (que são difíceis de substituir), sobrecarregando as fontes de alimentação das grandes cidades e deixando-as sem energia por até um ano.


 Felizmente, nossa capacidade de detectar tais eventos significa que vamos ser advertidos cerca de 12 horas antes, o que pode diminuir os estragos.
Fontes:
[History, National Geographic, wikipedia.org ]
Edição: UFOS ONLINE

                                           Veja o Vídeo Abaixo:


                                        Fonte:BPEarthWatch

Nenhum comentário:

Postar um comentário