1b

1

quarta-feira, 3 de abril de 2013

O Grande Cometa do Natal de 2013!!

PETER MOON (TEXTO) E RODRIGO FORTES, ALEXANDRE LUCAS E MARCO VERGOTTI (GRÁFICO)
O cometa ISON passará perto da Terra em 26 de dezembro. Se realmente ele vier a ser o mais brilhante da história – como se acredita –, o espetáculo será inesquecível.
No Natal de 2013, a Lua, coitada, perderá parte de sua majestade. Sua imagem poderá ser ofuscada pelo brilho de um novo rival, talvez o cometa mais brilhante já avistado pela civilização. Foi descoberto em 2012 por astrônomos russos do observatório ISON, no Cáucaso. E acabou batizado com o mesmo nome. O ISON ainda está longe, além da órbita de Júpiter, mas a partir de outubro poderá ser visto a olho nu. Em 26 de dezembro, atingirá sua maior aproximação da Terra, 63 milhões de quilômetros, um terço da distância daqui ao Sol. Será um evento único. Quem perdê-lo terá de aguardar 10 mil anos até a próxima visita. “Este cometa pode vir a ser tão brilhante quanto a lua cheia”, diz o astrofísico Gustavo Rojas, da Universidade Federal de São Carlos. Na escala astronômica de brilho, quanto menor é a magnitude, maior é o brilho. A lua cheia tem magnitude -12,7. O ISON poderá atingir magnitude -13 ou inferior. O cometa mais brilhante do século XX foi o Ikeya-Seki, de 1965, de magnitude -10. Cometas são compostos do material que sobrou da formação do Sistema Solar, há 4,6 bilhões de anos. Quando eles se aproximam do Sol, o gelo derrete para formar longas cabeleiras – a cauda. O brilho atual do ISON decorre de seu gelo, que é livre de impurezas e, portanto, reflete bem a luz solar. Mas brilho presente não é garantia de brilho futuro. Se o gelo da superfície, ao derreter perto do Sol, revelar camadas inferiores de gelo mais escuro, o brilho será menor. “É comum os astrônomos esperarem brilho intenso, e isso não acontecer”, diz Rojas. As projeções mais otimistas mostram que o ISON poderá adquirir uma cabeleira que se espalhe por metade do firmamento. 


Fonte: http://revistaepoca.globo.com 

                                             Veja o Vídeo Abaixo:


                                                Fonte:NTDSpanish

Um comentário:

  1. Creio haver muita desinformação aí. Sugiro atenção ao site jmccanneyscience.com sobre este assunto. Para quem conhece inglês as maiores informações são em áudio - infelizmente não é o meu caso então precisei me deter ao pouco que pude obter por tradução escrita. O conteúdo parece ser muito mais coerente e confiável.

    ResponderExcluir